Por SophiA Em Bibliotecas e Acervos

Dicas para a gestão de museus ser mais prática e eficiente




A gestão de museus está intimamente ligada ao sucesso desse tipo de espaço - ou à falta de êxito, sendo necessário ter atenção a fatores como a coleção e exposições, bem como lançar mão de recursos para a rotina ser mais prática e eficiente.

Afinal, melhorias que otimizem a gestão e ajudem a tornar a instituição cada vez mais conhecida e apreciada pelo público devem ser contínuas.

Como forma de auxiliar os profissionais que fazem esse gerenciamento, reunimos 7 dicas para elevar a eficiência na gestão de acervos.

1- Crie um plano museológico

Um desempenho de qualidade começa com a elaboração de um plano museológico, documento que estabelece os objetivos e visão da instituição.

Além disso, ele também tem a função de fortalecer a importância do museu. Seja em sua imagem externa, nas metas e estratégias a serem implementadas e demais aspectos que reafirmam o caráter essencial desse tipo de espaço.

Sendo alicerçado por um conjunto de ações alinhadas às diretrizes e leis museológicas em vigor, o gestor deve elaborar e implementar essa ferramenta que norteia toda a estratégia.

2- Detalhe o uso do espaço com o Projeto Museográfico

Outra providência essencial para uma boa gestão de museus é ter bem detalhado seus espaços.

Ou seja, é preciso definir espaços para cada necessidade: local usado pela administração, onde ficará a reserva técnica, locais para as exposições - permanentes ou temporárias.

Mais do que alocar pessoas e itens do museu, o Projeto Museográfico cria um layout agradável e atrativo para gerar uma experiência positiva entre os visitantes e os bens culturais da instituição.

3- A gestão de museus deve cuidar bem da reserva técnica

A existência de uma reserva técnica é imprescindível à existência do museu, sendo muito mais do que um depósito de obras que não estão sendo exibidas em exposições.

É nesse espaço que os devidos procedimentos técnicos, mais uma responsabilidade de quem faz a gestão dos museus, acontecem.

Catalogação, preparo de peças para exposição, restauros ou, simplesmente, os cuidados que mantêm a integridade dos itens são feitos na reserva técnica.

4- Elabore boas exposições

Pode-se dizer que a exposição é a cereja do bolo em um museu. Assim, planejar boas exposições, que despertem o interesse do público e criem um elo entre museu-visitante, é essencial.

Quando abre as portas, a instituição convida o público a mergulhar em sua estrutura institucional. Por meio do acervo, a gestão de museus permite que os visitantes interajam e reflitam sobre a mensagem expositiva.

E, vale lembrar, cada pessoa tem sua própria interpretação do que está exposto - uma das belezas desses espaços tão especiais.

Lembre-se de que, cada vez mais, exposições virtuais ganham espaço e conquistam o público. Portanto, devem ser exploradas.

5- Tenha uma boa estratégia de comunicação

Um planejamento de comunicação bem elaborado tem a capacidade de atingir o público, fortalecer a imagem da instituição e nutrir a relação entre o museu e os seus usuários.

Defina o orçamento disponível, conte com profissionais e lembre-se de adotar uma estratégia digital consistente. Afinal, a internet é o meio mais utilizado pelas pessoas para suas pesquisas - incluindo atividades culturais.

Um site bem elaborado, incluindo imagens e vídeos de alta qualidade do acervo, posts nas redes sociais e outras ações são essenciais para atrair a atenção do público.

E capriche no folder impresso, já que muitas pessoas ainda gostam de encontrar um desses materiais na sua visita presencial.

6- Acompanhe o mercado e forme uma boa equipe

Atualização é a palavra-chave para quem está à frente da gestão de museus. Acompanhar o mercado de arte, ficar por dentro das novidades na área e conhecer ferramentas tecnológicas que possam agilizar a rotina precisam estar na agenda.

Assim como ter uma equipe eficiente e que esteja apta a exercer suas atividades e funções com qualidade.

7- Use soluções inovadoras para gestão de museus e acervos

Controles manuais ou em planilhas não são compatíveis com os tempos atuais, em que a transformação digital proporciona uma verdadeira revolução em todos os setores.

Soluções especialmente desenvolvidas para a gestão de museus têm a capacidade de automatizar tarefas, facilitando a rotina dos profissionais e agilizando processos.

Assim, além da eficiência, sobra mais tempo para o profissional cuidar da estratégia do espaço.

Software para gestão de museus - conheça o SophiA Acervo

O SophiA Acervo é um software para gestão de espaços como museus e tem diversas funcionalidades para um gerenciamento muito mais seguro e eficiente. Por exemplo:

  • Controle de acesso com níveis personalizados de permissões;
  • Emissão e impressão de relatório, gráficos e outros documentos personalizados para facilitar a circulação e divulgação de informações armazenadas;
  • Acesso remoto via Módulo Terminal Web, permitindo a consulta remota à coleção (ou) ao acervo, de forma segura e confiável;
  • Pesquisas por autor, título, assunto, palavra-chave, intervalo de tempo, entre diversos outros fatores;
  • Criação personalizada de fichas para catalogação do acervo para suprir as necessidades do gestor.

Esperamos que tenha gostado das dicas. Em nosso Blog temos outras informações que vão auxiliar a gestão de museus e de outros acervos – como o artigo:

Museus acessíveis: a importância de se adequar a todos os públicos 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Ligamos para você

Este canal é para comunicação com a equipe de vendas da Prima. Em breve um dos nossos consultores entrará em contato com você.

Menu

Carregando ...

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por SophiA, em Bibliotecas e Acervos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.