Voltar à home em SophiA Central de vendas: +55 (12) 99654-1838 PABX: (12) 2136 7200
Central de vendas: +55 (12) 99654-1838 PABX: (12) 2136 7200 Capa do Blog Bibliotecas e Acervos Gestão Escolar Materiais Educativos Eventos
Por SophiA Em Blog

Clássicos do cinema brasileiro para trabalhar em sala de aula

Em 19 de junho, celebra-se o Dia do Cinema Brasileiro. Aproveite esta seleção de filmes nacionais para trabalhar em sala de aula

Pexels
Pexels
Clássicos do cinema brasileiro para trabalhar em sala de aula


O cinema brasileiro é recheado de clássicos que permitem estudar diversos fenômenos sociais e culturais do país. É um prato cheio para os educadores levarem assuntos importantes e, muitas vezes, complexos para discussão e reflexão em sala de aula. Além de ser uma excelente fonte de informação e conhecimento para os estudantes. Neste artigo, você vai encontrar muitas opções para diferentes idades, são sugestões de filmes antigos e atuais sobre os mais diversos temas. Confira esta seleção de clássicos do cinema brasileiro e aproveite para trabalhar o enredo com seus alunos – lembre-se de conferir a classificação indicativa antes de selecionar as obras para sua turma.

Orfeu Negro (1959) – Classificação indicativa: 12 anos

Mostra a realidade das favelas do Rio de Janeiro e o Carnaval. Único filme de língua portuguesa a vencer o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Também recebeu a Palma de Ouro, no Festival de Cannes, e o Globo de Ouro de Melhor Filme Estrangeiro.

O Pagador de Promessas (1962) – Classificação indicativa: livre

Fala sobre fé, religião e espiritualidade. Único filme brasileiro a conquistar a Palma de Ouro do Festival de Cannes (1962) até hoje. Foi indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro (1963), ganhou o Prêmio Especial do Júri do Festival de Cartagena (1962) e, no San Francisco International Film Festival, em 1962, levou o prêmio Golden Gate, nas categorias Melhor Filme e Melhor Trilha Sonora.

Macunaíma (1969) – Classificação indicativa: 14 anos

A história do herói brasileiro sem nenhum caráter. Baseado no livro homônimo de Mario de Andrade, ganhou o prêmio de Melhor Filme no Festival Internacional de Mar del Plata 1970 (Argentina).

Dona Flor e seus Dois Maridos (1976) – Classificação indicativa: 14 anos

Baseado no livro homônimo de Jorge Amado, ganhou dois Kikitos no Festival de Gramado: Melhor Diretor e Melhor Trilha Sonora. Também foi indicado ao Globo de Ouro de Melhor Filme Estrangeiro.

Bye Bye Brasil (1979) – Classificação indicativa: 18 anos

Indicado à Palma de Ouro, no Festival de Cannes de 1980, e ganhou dois prêmios no Festival de Havana do mesmo ano: Melhor Diretor e Prêmio Coral Especial de Gênero de Ficção.

A hora da Estrela (1985) – Classificação indicativa: 14 anos

Adaptado do livro homônimo de Clarice Lispector, o filme rendeu à diretora Suzana Amaral o prêmio de Melhor Diretor, no Festival de Havana. A diretora também ganhou o prêmio da crítica, no Festival de Berlim, e foi indicada ao Urso de Ouro. Marcélia Cartaxo, protagonista, levou o Urso de Prata, no Festival de Berlim.

O Quatrilho (1995) – Classificação indicativa: livre

Glória Pires recebeu o prêmio de Melhor Atriz no Festival de Havana. O filme, conta a história de dois casais que moram sob o mesmo teto até que o marido de um se apaixona pela esposa do outro (e vice-versa).

O Que é Isso, Companheiro? (1997) – Classificação indicativa: 14 anos

Concorreu ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro e ao Urso de Ouro, no Festival Internacional de Berlim. Baseado no livro homônimo de Fernando Gabeira. Mostra uma das fases mais conturbadas da ditadura militar no Brasil e retrata o sequestro do embaixador dos EUA.

Central do Brasil (1998) - Classificação indicativa: 12 anos

Uma ex-professora ajuda um menino a encontrar o pai, após a morte trágica de sua mãe, no interior do Nordeste. Com este filme, Fernanda Montenegro foi indicada ao Oscar de Melhor Atriz. Outros prêmios: Globo de Ouro de Melhor Filme Estrangeiro; Melhor Atriz para Fernanda Montenegro no New York Film Critics Circle Awards, no Los Angeles Film Critics Association Award, no National Board of Review, no International Film Festival Fort Lauderdale e no Troféu APCA – que também rendeu os prêmios de Melhor Filme, Melhor Direção e Melhor Fotografia; Melhor Filme Estrangeiro no International Press Academy, no British Academy of Film and Television Arts, no Satellite Awards e no National Board of Review, Urso de Ouro e Urso de Prata para Fernanda Montenegro no Festival de Berlim; e Melhor Filme e Melhor Atriz para Fernanda Montenegro no Festival de Cinema de Havana.

Cidade de Deus (2002) - Classificação indicativa: 18 anos

O filme foi indicado ao Oscar de 2004 nas categorias Melhor Diretor, Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Edição e Melhor Fotografia. Ganhou o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro nas categorias Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Fotografia, Melhor Som e Melhor Montagem.

Carandiru (2003) - Classificação indicativa: 16 anos

Ganhou o prêmio de Melhor Filme no Festival Internacional de Cinema de Cartagena e foi indicado a Palma de Ouro no Festival de Cannes, entre outros. Baseado no livro Estação Carandiru, de Dráuzio Varella, o filme narra o cotidiano da extinta casa de detenção, até o massacre de outubro de 1992.

Olga (2004) - Classificação indicativa: 14 anos

O filme conta a história da judia e revolucionária alemã Olga Benário Prestes. Ganhou diversos prêmios nacionais, além do Prêmio do Público no Festival de Havana.

Tropa de Elite (2007) - Classificação indicativa: 16 anos

Ganhou o Urso de Ouro de Melhor Filme no Festival de Berlim de 2008, o prêmio de Melhor Filme do Festival Hola Lisboa no mesmo ano, além de nove categorias no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro.

Que Horas Ela Volta (2015) - Classificação indicativa: 14 anos

Internacionalmente premiado em festivais de cinema, como os de Berlim e Amsterdam, por exemplo, o filme foi reconhecido como um dos cinco melhores filmes estrangeiros do ano pela organização norte-americana, National Board of Review.

Bacurau (2019) – Classificação indicativa: 16 anos

Mostra a cultura e o estilo de vida do sertão nordestino, abordando temas como o racismo e a violência. Em 2020, venceu o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, e além de Melhor Filme, ganhou também como Melhor Direção e Roteiro Original, Melhor Ator e Efeitos Visuais.

Gostou da lista? Compartilhe nos comentários sugestões de outros filmes nacionais e como você trabalhou ou irá trabalhar os clássicos do cinema brasileiro em sala de aula!

Boleto

Ligamos para você

Este canal é para comunicação com a equipe de vendas da Prima. Em breve um dos nossos consultores entrará em contato com você.

Menu

Carregando ...

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por SophiA, em Blog

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.