Descubra como ajudar os alunos a escreverem melhor e prepará-los para a vida acadêmica e para o futuro dentro do mercado de trabalho.
Voltar à home em SophiA Central de vendas: +55 (12) 99654-1838 PABX: (12) 2136 7200
Central de vendas: +55 (12) 99654-1838 PABX: (12) 2136 7200 Capa do Blog Bibliotecas e Acervos Gestão Escolar Materiais Educativos Eventos
Por SophiA Em Gestão Escolar Atualizada em 06 DEZ 2019 - 14H09

5 dicas para ajudar os alunos a escreverem melhor

Descubra como ajudar os alunos a escreverem melhor e prepará-los para a vida acadêmica e para o futuro dentro do mercado de trabalho.

A escrita é uma forma importante de comunicação, então, ajudar os alunos a escreverem melhor é uma parte essencial do trabalho de todo educador.

Mas é também um grande desafio nos dias de hoje: com toda a tecnologia disponível, as crianças não têm muitas oportunidades de praticar e melhorar sua capacidade de escrever. Isso também deixa muitos pais se perguntando como melhorar as habilidades de escrita de seus filhos – já que esta é uma necessidade que extrapola os limites da sala de aula.

Apostar em muita prática e em uma ampla exposição à linguagem é decisivo na hora de ajudar os alunos a escreverem melhor. Descubra a seguir como colocar isso em prática e estimular o hábito da escrita entre os alunos – independentemente da idade deles.

Quão importantes são as habilidades de escrita?

A escrita está intimamente ligada ao pensamento crítico. Também tem implicações para o desempenho em todas as áreas do currículo escolar e pode afetar o ingresso no mercado de trabalho futuramente.

Ajudar os alunos a escreverem melhor também permite que eles mostrem o que sabem ou o que aprenderam. Todo aluno precisa saber se expressar por meio da escrita para se sair bem nos exames, concluir tarefas de casa e, eventualmente, redigir ensaios, trabalhos de conclusão de curso e relatórios mais elaborados.

O ideal é que este hábito seja estimulado desde cedo – assim como a leitura: e quanto mais cedo os estudantes adquirirem o hábito e entenderem a importância destas duas coisas, mais fácil será ajudá-los.

Mas como torná-los mais familiarizados com estes processos – tão importantes não só hoje, mas também para o seu futuro? Confira nas dicas do próximo tópico.

Você pode se interessar por esses outros conteúdos:

Cenário da biblioteconomia no Brasil em tempos de crise, mercado cresce 24%

Saiba como a neurociência atua a favor da aprendizagem

5 dicas para trabalhar a educação inclusiva

5 maneiras de ajudar os alunos a escreverem melhor

Para que os alunos aprimorem suas habilidades de escrita, precisam praticar o máximo possível e serem apresentados a estratégias que os ajudarão. Veja como colocar isso em prática com as sugestões a seguir:

1) Ajude-os a dar o primeiro passo

Uma página em branco pode ser intimidadora, mesmo para um escritor experiente, por isso, ajude os alunos oferecendo suporte na hora de obter as primeiras palavras ou frases.

Pode ser apresentando uma pergunta instigante, uma lista das ideias relacionadas ao tópico sobre o qual deverão escrever ou um esboço sobre a estrutura do texto.

Tirar o estigma de escrever a frase perfeita também é fundamental, pois uma vez que eles tenham algum texto para trabalhar, ele sempre poderá ser remodelado e revisado.

O truque é incentivar a escrita livre desde o início, a fim de registrar quaisquer pensamentos que venham à mente – o que nos leva à próxima dica.

2) Proponha exercícios de brainstorming

Colocar as ideias no papel, garantir que a linguagem e os pensamentos fluam e revisar erros de digitação são todos passos diferentes no processo de escrita.

É preciso entender que uma frase perfeita não sai do nada: ela se desenvolve por meio de um processo de construção, à medida que o escritor escreve, analisa e revisa seu texto.

Por isso, comece a tarefa propondo um exercício: cada aluno deve pegar uma folha em branco e escrever tudo aquilo que está se passando em sua cabeça. Sem regras gramaticais, construções de frase ou necessidade de escrever de acordo com a pauta desenhada no papel.

Isso ajuda a organizar as ideias, tirando aquela ansiedade inicial da folha em branco.

3) Peça aos pais que ajudem fora da escola

A escrita se aprende também através dos exemplos. Às vezes, concluir um rascunho inicial sozinho é importante, principalmente se a tarefa exigir o compartilhamento de pensamentos e experiências pessoais, mas também ajuda ter alguém para revisá-lo.

E os pais podem fazer uma enorme diferença na hora de ajudar os alunos a escreverem melhor, lendo o que foi escrito inicialmente.

É importante apenas lembrar de usar as palavras do próprio aluno para sugerir frases otimizadas e/ou ajudá-los a identificar o que estão tentando dizer durante a conversa. Isso facilita a construção das ideias ao formular um texto.

4) Incentive a escrita livre em casa e na escola

Quando um aluno aprende a escrever bem, não está apenas cultivando habilidades acadêmicas, mas também abrindo um novo caminho para a auto expressão.

As tarefas criativas promovem associações positivas com a escrita, para que os alunos a vejam não apenas como uma atividade para aprender e relatar informações na escola, mas como uma maneira de transmitir seus pensamentos.

Um diário pessoal é uma excelente ferramenta para ajudar os alunos nessa tarefa, resultando em uma prática especial que pode ser aproveitada no final do dia e semana por meio da escrita livre.

Também é importante que os professores incentivem toda e qualquer oportunidade de escrever. Quanto mais os alunos escrevem, mais eles melhoram e aprimoram suas habilidades.

5) Incentive a leitura

Bons escritores são tidos como bons leitores, e há uma razão para isso: quanto mais uma pessoa lê, mais palavras aprenderá, podendo escrever de forma cada vez melhor.

A leitura também expõe os alunos a diferentes maneiras de usar palavras e a uma variedade de estruturas de frases que podem usar em seus próprios textos.

E o papel da biblioteca nesta etapa, claro, se faz fundamental, cabendo às escolas prezarem para que esse seja um espaço bem estruturado, organizado e com acervo vasto e diversificado.

Ferramentas como o Philos ajudam a manter a biblioteca de sua instituição funcional, completa e atraente – atingindo o objetivo mencionado acima e liberando sua equipe para ter mais tempo para focar em atividades relevantes, inclusive no que diz respeito ao auxílio para a melhora da escrita dos alunos.

Clique aqui e solicite mais informações sobre o Philos: você vai descobrir como ele pode otimizar cada vez mais sua biblioteca escolar!

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Ligamos para você

Menu

Carregando ...

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por SophiA, em Gestão Escolar

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.