Voltar à home em SophiA Central de vendas: +55 (12) 99654-1838 PABX: (12) 2136 7200
Central de vendas: +55 (12) 99654-1838 PABX: (12) 2136 7200 Capa do Blog Bibliotecas e Acervos Gestão Escolar Materiais Educativos Eventos
Por SophiA Em Blog Atualizada em 26 MAI 2021 - 16H24

Para fazer na sua escola: campanha de conscientização contra o tabagismo

Segundo o INCA, até 2019, 12% da população adulta no Brasil fazia uso do tabaco. O índice diminuiu no decorrer dos anos, mas é essencial orientar os mais novos para mantê-lo assim

Você sabia que em 31 de maio é celebrado o Dia Mundial sem Tabaco? A data foi criada pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 1987, para alertar sobre doenças e mortes evitáveis relacionadas ao tabaco. Aqui no Brasil, o Instituto Nacional de Câncer (INCA) é o responsável por divulgar e elaborar materiais técnicos que instruam comemorações nos níveis federal, estadual e municipal. Clique aqui para acessar o site do INCA e ver as orientações para campanhas.

Esta é uma data importante para sua escola porque não há nada melhor do que conscientizar crianças e adolescentes antes mesmo que iniciem o vício, alertando sobre os riscos associados ao uso de substâncias como o tabaco. O INCA estima que, até 2019, 12,4% da população adulta no Brasil fazia uso da substância. Desde 1989, primeiro ano do registro, a taxa baixou muito – era de 34,8% - mas para mantê-la assim, é essencial continuar orientando a todos, principalmente, as crianças e os adolescentes.

Vamos ver, então, o que sua escola pode fazer para criar uma campanha de conscientização sobre o tabagismo? Siga na leitura do artigo!

Um breve histórico: questões econômicas, políticas, sociais e ideológicas

Desde 2013, com proibição de publicidades, promoção e patrocínio do tabaco, a campanha contra o seu uso vem se intensificando. Em 2014, houve aumento dos impostos sobre produtos com tabaco, e em 2015, foram criadas as embalagens padronizadas, com avisos e imagens sobre os riscos da utilização do produto. Em 2020, o grande alerta foi para a relação entre o uso da substância e a possibilidade de desenvolver casos mais graves de Covid-19.

Mas se recentemente pode-se observar um grande movimento no combate ao uso do tabaco, antigamente, o seu consumo era indiscriminado. É interessante abordar com os estudantes como, há pouco tempo, era permitido fumar em locais fechados, como salas de aula, restaurantes e até dentro do transporte público. Até mesmo, ressaltar que o uso do tabaco era muito comum no passado, porque não existiam campanhas para alertar sobre seus riscos, pelo contrário, o fumo era tido como status, e as propagandas o associavam a pessoas de sucesso, aventureiras, destemidas e altamente sociáveis. Isso fez com que muitos jovens desejassem consumir a substância.

No passado, era assim...

Dê exemplos de situações inusitadas do passado que hoje não acontecem mais e como isso contribuiu para que os jovens atualmente não se sintam tão atraídos como antes pelo cigarro. Aborde como a sociedade trata o uso de outras substâncias, como álcool, e discuta se elas também não deveriam passar do socialmente aceito para um controle maior, devido ao risco de dependência e doenças. Afinal, por que alguns produtos são liberados para uso e outros são controlados? Procure instigar nos seus alunos a curiosidade em compreender os interesses por trás de decisões como estas, que envolvem interesses sociais, econômicos e políticos.

Começar a fumar é fácil, parar é difícil

Uma boa forma de abordar o tema tabagismo com crianças e adolescentes é fazendo uso de depoimentos de quem já fumou, conseguiu parar, mas teve dificuldade, ou com ex-fumantes que tiveram doenças, mesmo após interromper o uso do tabaco. Os casos reais ajudam a aproximar as possíveis doenças e dificuldades que o aluno pode pensar que estão muito longe de sua realidade. Os problemas causados pelo tabaco não estão assim tão longe! Invista também em especialistas, como médicos e enfermeiros, que possam passar informações técnicas e segurança aos estudantes.

Ensine a dizer não e o porquê dizer não

É importante que os jovens saibam como dizer não a uma oferta de experimentação do tabaco, ou de qualquer outra droga. Mais essencial é que entendam o porquê dizer não. Com a disseminação de informações pautadas em dados e evidências, a criança ou o adolescente entenderá perfeitamente quais os males causados pelo hábito de fumar e, então, porque recusar aquela oferta, mesmo que pareça tentadora. Ilustre situações e ensine como escapar delas da melhor maneira, fazendo escolhas que visam a conservação de sua saúde.

Use todos os canais de comunicação da escola

A campanha contra o uso de tabaco deve ser espalhada por todos os canais de comunicação da escola, isso inclui peças digitais, no site, nas redes sociais, nos aplicativos, e peças impressas, em murais, nas salas de aula e demais dependências da escola. Os alunos devem estar envolvidos na produção destes avisos e cartazes. As informações podem e devem se estender aos pais e responsáveis, com a proposta de ações conjuntas, em casa e na escola, para o combate ao fumo.

Com estas ideias, você pode começar a pensar em uma campanha de conscientização para sua escola! Se a sai instituição já faz campanhas deste tipo, compartilhe nos comentários suas experiências.

Boleto

Ligamos para você

Este canal é para comunicação com a equipe de vendas da Prima. Em breve um dos nossos consultores entrará em contato com você.

Menu

Carregando ...

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por SophiA, em Blog

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.