Na tarde do dia 12 de março, Dia do Bibliotecário, venha participar do bate-papo sobre os desafios enfrentados pelas bibliotecas durante a pandemia.

O bate-papo será transmitido pelo canal do software SophiA no Youtube e contará com a participação de profissionais que atuam em bibliotecas corporativas, de escolas de Ensino Infantil e também do Ensino Superior.

Atenção: não emitimos certificados para apresentações online.

As inscrições são gratuitas então não perca!

No dia 12 de março, Dia do Bibliotecário, esperamos você para um encontro descontraído e enriquecedor.

Participe!

Confira quem vai participar dessa conversa!




Um pouco sobre Liliana G. Serra: Liliana Giusti Serra é doutora em Ciência da Informação pela Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho (UNESP) e mestre em Ciência da Informação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (USP). Profissional da informação dos softwares SophiA Biblioteca, Philos e SophiA Acervo. Pesquisadora na área de ciência da informação sobre catalogação, metadados, linked data, bibliotecas e livros digitais.

Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4291164D6 

ORCID: http://orcid.org/0000-0001-6788-2376




Um pouco sobre Carli Cordeiro: Bibliotecária formada pela ECA/USP, com especialização em História da Moda e da Indumentária (Senac), Pós Grad. em História da Arte (Faap), Gestão de Negócios (Ipep) e Coordenadora de Laboratório de Leitura (Casa Arca - Professor Dr. Dante Gallian). É Bibliotecária Sênior da Porto Seguro. Foi presidenta do CRB8 da 17ª Gestão (2015 – 2017). Vice-presidenta do CRB8 19ª Gestão (2021 - 2023).

Sobre a empresa em que a Carli trabalha: A Porto Seguro é uma empresa brasileira com mais de 70 anos de mercado e está entre as maiores seguradoras do País, ocupando a primeira posição nos ramos de Seguro Auto e Residência. Atualmente, são mais de 8,4 milhões de clientes únicos, 13 mil funcionários, 12 mil prestadores e 35 mil corretores parceiros. A companhia tem ainda 101 sucursais e escritórios regionais em todo o Brasil. O Grupo Porto Seguro é formado por 27 empresas – entre elas Azul Seguros, Itaú Seguros de Auto e Residência, Porto Seguro Saúde e Porto Seguro Uruguai – que atuam nos mais diversos ramos como seguros, produtos financeiros, serviços de emergência e conveniência, proteção e monitoramento, plano de saúde para Pets, entre outros. Em 2020, o lucro líquido da companhia foi de R$ 1,695,8 milhões.

A biblioteca da Porto Seguro foi criada em 1994, após sugestão de um funcionário. Há 28 anos, tem o propósito de contribuir para o desenvolvimento profissional e pessoal dos colaboradores da Companhia.

Possui um acervo de 9 mil exemplares físicos dos mais diversos temas, e alguns livros digitais. Realiza cerca de 3 mil empréstimos por mês, além de oferecer atividades culturais como a Semana do Livro e a Semana Cultural, e grupos de leitura que discutem sobre as obras e seus escritores, compartilhando interpretações e visões sobre o mundo da leitura. Todas essas ações são conectadas às estratégias da empresa e agregam valor à formação dos nossos times.




Um pouco sobre Gustavo Andrade: Sou Gustavo Andrade e me formei a quase 11 anos pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Desde então, trabalho como Bibliotecário Escolar onde tive a oportunidade de montar uma biblioteca “do zero” em uma instituição católica que apesar de ter mais de duzentos anos, estava instalando sua filial na Barra da Tijuca naquele ano. Depois de muito bater cabeça, enxerguei que numa Biblioteca Escolar, a parte pedagógica era primordial e por isso, em 2015, ingressei na graduação em Pedagogia pela UERJ. Após nove anos trabalhando no mesmo lugar, decidi que era hora de mudar de ares e aceitei a oportunidade de trabalhar na Escola Alemã Corcovado, uma escola Bi cultural, com uma estrutura pronta e uma organização única em relação a grande parte das bibliotecas escolares. No mesmo ano, ingressei na 18ª Gestão do Conselho Regional de Biblioteconomia, 7ª região, para um mandato complementar. Além disso, tenho um MBA em Gestão Escolar na USP onde apresentei no TCC um modelo de implementação de Biblioteca escolar.

Sobre a instituição em que Gustavo trabalha: Não existe uma data exata de quando foi a inauguração da Biblioteca da Escola Alemã, pois a grande dúvida é se uma “Biblioteca é um espaço onde somente se concentram os livros ou os espaços que desenvolvemos leitura?”, mas digamos que consideremos o marco inicial o dia 16 de novembro de 1984, data em que foi registrada no CRB7. Durante anos, ela esteve em alguns lugares até firmar residência na sala A206, no principal prédio da escola. Nesta sala, além de conter todo o acervo geral, conta com dois espaços anexos no qual um fica a sala de leitura e outro, um pequeno espaço que chamamos de Kabuff (depósito em alemão) onde armazenamos livros em alemão que servem como apoio para todas as turmas.

Além da Biblioteca Central, a escola conta com uma Biblioteca Infantil (carinhosamente chamada de BII), que contém um Kabuff com obras duplicadas, materiais de apoio em português e um espaço para trabalhos internos e por fim, uma sala onde guardamos todos os materiais de Inglês.

Com um acervo de mais de 36mil livros, a Biblioteca conta com uma equipe grande que além de atender ao público, desenvolve diversos projetos e eventos com o foco no desenvolvimento da leitura e apoio pedagógico. 




Um pouco sobre Maira Goulart: Bacharel em Biblioteconomia pela Fundação Educacional Comunitária Formiguense (1997). Especialista em Gerenciamento Estratégico da Informação pela Uniube (1999). Mestre em Tecnologias, Comunicação e Educação pela UFU (2015). Doutora em Ciência da Informação pela Unesp (Marília, SP, 2020). Bolsista CAPES no estágio doutorado na Universidade Carlos III de Madrid (ES, 2020). Bibliotecária documentalista do SISBI/UFU desde 2004, com atuação em cargos de chefia, gerência e coordenação de atendimento ao usuário. Também atuou como docente dos cursos de graduação em Biblioteconomia da UninCor (Três Corações, 2000) e de especialização oferecido pela Funorte (Uberlândia, 2017-2018), além de ter sido diretora da Biblioteca Pública Municipal Meirinha Botelho (Lavras, 2001-2004) e bibliotecária do Colégio Nossa Senhora de Lourdes (Lavras, 2001-2002) e da Uniube (Uberaba, 1998-1999 e Uberlândia, 2003-2004).

Sobre a instituição em que Maira trabalha: o Sistema de Bibliotecas da Universidade Federal de Uberlândia (SISBI/UFU) tem origem na junção do acervo das bibliotecas das escolas e faculdades de ensino superior de Uberlândia realizada em 1978, após a federalização da universidade. No entanto, sua criação ocorre oficialmente em 1989, com a centralização das atividades de gestão administrativa, de aquisição, seleção e processamento técnico do acervo no campus Santa Mônica. Atualmente, o SISBI/UFU é composto por nove bibliotecas, sendo sete universitárias, uma escolar e uma especializada e atende a quase 40.000 membros da comunidade universitária, além da comunidade externa à UFU, dos municípios de Uberlândia, Ituiutaba, Monte Carmelo, Patos de Minas e região.

Inscreva-se!


Boleto

Ligamos para você

Menu

Carregando ...

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação, em Cursos e Treinamentos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.